Mindfulness para pais e mães

2017 é o ano que estamos refletindo, discutindo e pesquisando sobre equilíbrio materno. Naturalmente, portanto, atraímos para o nosso lado pessoas com esse mesmo propósito. Fabiana Saes, psicóloga e instrutora de Mindfulness, é uma delas.

Quando resolveu retomar a carreira de psicóloga, Fabiana buscou alguns cursos de aperfeiçoamento e se encantou com as técnicas que estimulam a atenção plena. Além de atender em consultório, ela aplica Mindfulness em empresas, escolas e grupos fechados. Seu foco principal é estimular a construção de relações significativas nas famílias.

Toda a experiência que tem, inclusive aplicando com seu casal de filhos, ela vai compartilhar com a gente em um programa de 8 semanas.

A seguir, as informações sobre o Programa:

 

No programa de oito semanas de Mindfulness para Pais e Mães vamos:

  • Explorar as próprias expectativas e desejos, medos, raiva, frustrações e aprender a gerenciá-los com cuidado e amor
  • Aprender a encontrar espaços de calma interior para se relacionar com os filhos com respeito, consistência e amor e poder desfrutar mais dos momentos que ocorrem na vida familiar cotidiana
  • Desenvolver maneiras para evitar agir reativamente
  • Desenvolver maneiras de aumentar os pensamentos positivos
  • Desenvolver as qualidades de ouvir com total atenção ao interagir com seus filhos
  • Trazer compaixão e aceitação sem julgamento para suas interações parentais

 O programa é voltado para pessoas que desejam:

  • Aumentar o foco e a atenção
  • Melhorar o relacionamento com os filhos
  • Melhorar a reatividade excessiva às situações do dia-a-dia
  • Melhorar relacionamento interpessoal
  • Diminuir níveis de estresse
  • Melhorar produtividade
  • Diminuir sintomas de ansiedade e depressão
  • Aumentar qualidade de vida
  • Autoconhecimento
  • Mudar a maneira como se relacionam com suas vidas, como pensam e como se sentem sobre as experiências diárias

O programa inclui: 

  • Técnicas de respiração
  • Práticas guiadas de meditação
  • Apostila com atividades
  • Disponibilização de áudios com as meditações
  • Instruções para aplicações diárias
  • Discussões em grupo sobre as experiências, dificuldades e incorporação das técnicas na rotina

Metodologia:

Sobre o Programa:

  • Consiste em 8 sessões semanais de 2h cada.

Conteúdo das sessões semanais:

1º encontro: O que é Mindfulness? Saindo do piloto automático.

2º encontro: Atitudes e desafios da prática de Mindfulness. Explorando a respiração.

3º encontro: Mindfulness na vida diária. Lidando com os pensamentos.

4º encontro: Estendendo as habilidades de Mindfulness para situações desafiadoras.

5º encontro: Mindfulness, aceitação e ação habilidosa.

6º encontro: Dia do silêncio. Desafios da introspecção.

7º encontro: Mindfulness e compaixão.

8º encontro: Mindfulness para a vida toda.

 

Informações: TURMA I MINDFULNESS | CO.MADRE

 

DATAS16/08, 23/08, 30/08, 06/09, 13/09, 20/09, 27/09, 04/10

HORÁRIO: das 14h às 16h

LOCAL: Ateliê Mariana Iannuzzi | Rua Pais de Araújo, 77 - Itaim Bibi

VALOR: 3 x R$ 367,00

INSCRIÇÃO: https://form.jotformz.com/fsaes/inscricao_comadre

INFORMAÇÕES:  fabiana@brace.net.br | 96081-0404

A arte de equilibrar pratinhos

Procura-se equilíbrio. Começamos o ano discutindo esse tema em um bate-papo agradável com as coaches Thais Catalano e Tatiana Pacheco, especialistas em maternidade.

 Balança, mas não cai.

Balança, mas não cai.

 

A primeira pergunta era: o que é equilíbrio para cada uma das participantes. Ouvimos conceitos como: paciência, foco, presença, angústia, leveza… Alguém também falou que equilíbrio é uma conquista impossível. Desmistificou assim, na lata.

O exercício nos mostrou que equilíbrio é algo pessoal, intransferível. Segundo as coaches, essa busca pelo equilíbrio depende muito de olharmos para nossa bússola interna e nos questionarmos sobre nossos valores e sobre o que é importante para nós. Mas elas frisaram que não há fórmula mágica.

 Roda de bate-papo sobre o equilíbrio possível.

Roda de bate-papo sobre o equilíbrio possível.

Equilíbrio não se dá, não se compra, não se empresta. Os depoimentos das comadres no grupo corroboram ainda mais essa ideia. Dá uma olhada como cada uma enxerga de um jeito. E você? Qual é o seu jeito? 


Alice Salvo Sosnovski, jornalista e fundadora da O Pulo do Gato

“Tenho buscado constantemente esse tal equilíbrio e por conta dele fiz algumas reviravoltas no ano passado. Confesso que me senti mais tranquila ao ficar mais tempo com a minha filha, poder tirar férias com ela e conversar sobre coisas da vida sem pressa, mas começo a me sentir vulnerável principalmente nas questões financeiras. SP exige muito que a nossa energia seja voltada para o trabalho, aqui temos mais demandas mesmo se escolhemos uma vida sem luxo. Enfim, ele me sugeriu temperança (substantivo feminino), que é mais que equilíbrio. Significa uma serenidade diante das nossas escolhas. Achei lindo.”

Karina Arruda, sócia da Inspiral

“Na minha opinião essa equação só vem com o empreendedorismo feminino ou com uma mudança completa da estrutura ofertada pelas empresas, que precisaria ser mais livre, flexível, e sem julgamentos. Moro em SP e acho opressora para crianças. Embora ofereça mil possibilidades interessantes, sempre acreditei que é na simplicidade e na natureza que a infância encontra paz e conforto.”

Ana Viana, sócia da Buji

Já cheguei a pensar que se tivesse uma base financeira sólida (tipo "vinda do meu parceiro" por exemplo), esse equílibro seria mais fácil, mas conheço várias mães cujos filhos não dependem do sucesso financeiro delas para viver e nem por isso se sentem equilibradas, então percebi que não é só uma questão de grana. Mas eu particularmente me sinto vulnerável no que se refere a grana e tempo, sempre me perguntando se não tô tirando o tempo que deveria dar a meus filhos e dando pra carreira ou se deveria estar ganhando mais e trabalhando numa empresa que me desse mais benefícios para que eles tivessem uma situação de vida melhor. Mas pelo menos estou na luta, e sempre que posso deixo os meus filhos a par dessa batalha, das minhas escolhas e da minha fé num futuro mais próspero!”


Vivian Bravo, empreendedora da marca Carinho na Caixa

"Acredito que, como em tudo, estamos sempre voltando ao começo, às origens. As mulheres estão buscando no empreendedorismo uma forma de equilíbrio entre estas duas partes tão importantes e essenciais para nossas vidas. Em nossa cidade tão competitiva, o coração do país, essa cultura de ser sempre o melhor, competitividade super forte, as melhores oportunidades são pra quem não desiste, não pára, não tem como conciliar com uma maternidade saudável e justa. Realmente a necessidade cria caminhos, oportunidades para o novo! Como pensava Buda, o caminho do meio é a melhor forma de se conseguir o equilíbrio!"

Dani Junco, sócia da B2Mammy

Eu me equilibrei depois de entender que meu filho é incrivelmente importante, mas tenho (e quero) manter outros pratinhos girando. Eu faço um monte de coisas, mas entendi que só consigo fazer bem um de cada vez. O pratinho da culpa tomava meu dia e me levava a inovação. Ter encontrado um projeto que tem impacto social me ajudou a entender que é uma coisa maior. Estar em um rede, colaborar, ter e dar apoio para outras mães também me ajudam a manter o equilíbrio. Ah! E vôlei é sagrado, meu esporte é a melhor válvula de escape.

Branding da gentileza

Por Juliana Mariz

No dia 19 de setembro tivemos um encontro com Karina Arruda, sócia da consultoria em comunicação e negócios Inspiral. Formada em jornalismo, Karina desviou a carreira para o marketing e trabalhou em grandes empresas como a Motorola, Tim e Gazeta Mercantil. Em uma temporada no exterior, estudou coolhunting e filosofia contemporânea. À frente da Inspiral, ela realiza estudos profundos  para inspirar decisões.

Empreendedora cheia de energia, ela é capaz de virar noites para finalizar uma apresentação que pode fazê-la conquistar uma conta. Ou manda cartinha gentil pedindo encontro com potencial cliente para expor ideias. Com um otimismo contagiante, bota fé nos empreendedores, mas foge das fórmulas mágicas para se chegar ao sucesso.

Num papo informal, ela me contou sobre esse conceito de "Branding da Gentileza" e o quanto ele poderia contribuir para mudarmos paradigmas de como fazemos negócios. "O novo empreendedorismo é muito autoral, portanto, muito capaz de criar ações que nada mais são cuidado com os detalhes, com a comunicação", disse Karina. 

As estratégias, que passam longe dos manuais dos gurus, seriam bastante adequadas para os negócios das comadres. Resolvemos, então, fazer um encontro para que ela pudesse expor essas ideias. Criar negócios, falar com o cliente, vender serviços ou produtos todo mundo faz. Mas com gentileza são poucos.

A seguir, uma pincelada sobre o "Branding da Gentileza" discutido no nosso encontro:

 

1. Gentileza é empatia - vamos olhar para os outros com maus cuidado? Para os outros = cliente, parceiro ...

2. Gentileza pede licença - não seja invasivo. Propaganda por whatsapp, por exemplo, é desagradável.

3. Gentileza cria redes - não há problemas de você falar com outras pessoas do seu negócio, trocar ideia. No mundo corporativo, a reserva de informações é comum e só atravanca os negócios. Compartilhar faz a gente se conectar, se apoiar. Se essa rede não existe, o negócio também não.

4. Gentileza ensina reciprocidade - quando você se comunica gentilmente com um cliente, você o desarma e ainda mostra que esse caminho é possível.

Karina deu um exemplo bastante interessante sobre essa ideia de que o novo empreendedorismo compartilha conceitos, divide segredos.

Trata-se do Brownie do Luiz, marca carioca que fabrica o doce embalado em latinhas simpáticas. Eles divulgaram nas redes sociais a receita e incentivaram os consumidores a fazerem o doce também. Foi uma enxurrada de fotos e menções à marca. 

Veja aqui

Outros exemplos de gentileza ? Uma cartinha escrita a mão, personalizar uma embalagem, abraçar uma causa e, sobretudo, simplesmente fazer o que é certo.

Vamos colecionar histórias de marcas que atuam com gentileza?

Se souber de alguma, mande pra gente: oi@comadre. me

Percurso Agilizando seu negócio

um conteúdo para pequenas grandes empreendedoras
 
 
 
O Co.madre organizou cinco palestras que vão ocorrer ao longo do semestre para ajudar você e seu negócio. Consultamos diversas comadres para pensar conteúdos  e ferramentas bem direcionadas às pequenas empresas.

 

O conteúdo aborda: posicionamento de marca, comunicação, vendas, newsletter e peças publicitárias. Mas sempre com um olhar mais adequado às pequenas grandes empreendedoras.


 

SERÁ QUE É PRA VOCÊ?

 

  • você tem um pequeno negócio ou serviço?

  • quer alavancar os negócios sem investir um caminhão de dinheiro?

  • precisa dominar ferramentas para conquistar mais autonomia?

  • gosta de trocar ideias com outras pessoas que estão no mesmo barco?

 

Se disse sim, então seu lugar é aqui. Continuemos....

PROGRAMA

 

1.

Um novo branding: das grandes estratégias às pequenas gentilezas - Com Karina Arruda

Data: 19 de setembro

Local: Sala de reunião da Inspiral (Rua Alvorada, 1289 - cobertura)

Karina Arruda não acredita em fórmulas mágicas. Nem para emagrecer, nem para cair de amores por alguém, tampouco para cuidar de uma marca. Esqueça a ditadura dos gurus do marketing. Ela aposta em um caminho muito mais humano, com reflexão, bom senso e gentileza. Dona de um portfolio parrudo, ela cuida dos seus clientes por meio de um método inovador, que trouxe de seus estudos mundo afora. Com essa perspectiva, ela conseguiu resultados satisfatórios para clientes. E aí que vem o pulo do gato. Ela vai dividir esse conhecimento com a gente. Sai magia e entra alma. Algo que você pode também fazer na sua empresa.

Inscrição aqui

 

2.

Beijinho, abraço e aperto de mão - você pode se apresentar bem melhor que isso

Elisa Motta e Alessandra Figueroa

Data: 03 de outubro

Local: Cake Market (Vila Madalena)

E vamos discutir como podemos apresentar o que fazemos com autenticidade e segurança.

Muitas vezes ficamos reticente quando alguém pergunta nossa atividade. Engasgamos, demoramos para responder.

Mas esses minutinhos de papo valem muito.

Ter uma resposta autêntica na ponta da língua vai fazer muita diferença. A pessoa ficará curiosa e interessada.

Ok, ok. Mas como faz?

Elisa Motta e Alessandra Figueroa, que estão à frente da Engenho, vão nos ajudar. Elas trabalham exatamente com isso.

Com propósito,  post it, palavra, essência, mais post it, frase, fala. E fala de novo.

Daí, quando você se deparar com a pergunta fatídica, prepare-se. Olhos vão brilhar. E se vc não ganhar um parceiro ou cliente com certeza vai conquistar muita admiração.


O que vai rolar:

  1. Jogo de Perguntas e Respostas

  2. Roda de apresentação criativa

  3. Porque eu faço o que faço?

  4. Como posso ajudar pessoas?

  5. Finalização e feedback

 

Inscrição aqui
 

3.

Aprenda a fazer peças de comunicação arrasa-quarteirão

Com Camila Haddad e Giovana Camargo

Data: 24 de outubro

Local: Cake (Vila Madalena)

Autonomia é um princípio importante para pequenas empreendedoras. Não precisamos abraçar o mundo de uma vez, mas ter independência para fazer uma coisinha ou outra é importante. Fazer uma arte, um convitinho, um teaser sozinho é, podem acreditar, libertador. Esquece paintbrush (what ?). Vamos conhecer o Canva, ferramenta fácil e bem amigável com as feras Camila Haddad e Giovana Camargo. A dupla, fundadora do Cinese, utiliza ferramentas digitais como ninguém e têm noções estéticas e, mais importante, do que dá clareza à comunicação. À frente do Cinese, organizaram muitos encontros. Elas sabem muito bem o que funciona, entendem?

Sobre Giovana Camargo

Criadora do Cinese e da Comum, Giovana cultiva muito bem uma comunidade, lidera movimentos colaborativos e é mestre em bolar encontros relevantes. Em sua consultoria, dedica-se a alavancar projetos para mulheres. Estuda e divulga a comunicação não violenta e o feminismo. E é dona de um abraço dos mais gostosos já vistos por aí.

Sobre Camila Haddad

Administradora de formação, mestre em meio ambiente e desenvolvimento sustentável, Camila é expert em economia colaborativa e uma grande estudiosa da inovação em Educação. Fundadora do Cinese, ela acredita no aprendizado com pessoas. Cinema, bolo de fubá e café também arrancam seu sorriso.

Inscrição aqui

4.

Aprenda a fazer uma newsletter

Com Anna Haddad

Data: 7 de novembro

Local: Cake (Vila Madalena)

A comunicação por email tornou-se hoje uma ferramenta importante para chegar a clientes e parceiros. E, o melhor, é de baixo investimento.  Anna Haddad faz uma das newsletter mais lidas por essas bandas. As palavras são sua arma para expor o que pensa tanto no Cinese quanto na Comum, ambas iniciativas fundadas por ela. A gente também pode tirar proveito desse recurso e ela vai nos dar o caminho das pedras pra chegar chegando na caixa postal da audiência.

O que vai rolar:

  1. O que é uma newsletter (a importância da comunicação por email)

  2. Como a newsletter pode ajudar sua marca, negócio ou projeto

  3. Objetivo: linguagem, estética, frequência (projeto editorial, pilares da comunicação, conversão pra vendas)

  4. Dicas para angariar assinantes: relevância, o que eu ofereço além dos meus produtos, conteúdo importante.

  5. O que não fazer

  6. Plataformas: mailchimp (ferramentas básicas)

  7. Análise dos resultados

  8. Montando uma newsletter: peça prática e retomada do aprendizado do dia

  9. Monte a sua: se der, na aula - se não, leva pra casa de lição (e tira dúvidas em casa)

Sobre Anna Haddad

Advogada de formação e jornalista de coração. Escreve para vários veículos e no Medium sobre gênero, novos negócios e educação. Acredita em novas estruturas, mais horizontais e humanas.

Inscrição aqui
 

5.

Vender é uma arte

Com Taty Stahl

Data: 28 de novembro

Local: Cake (Vila Madalena)

Precisa vender um produto? Um serviço? Um projeto? Essa é pra você.

Taty Stahl vendia lapiseira para as amigas da escola quando tinha sete anos. Sabe quando a pessoa nasce com a aptidão para o comércio? Ela é assim. Cresceu em berço empreendedor e aprendeu muito na prática. Trabalhou na empresa da família e montou outra com o marido. Fez muitos cursos. E resolveu seguir seu propósito: ajudar outros na incrível arte de tocar seu próprio negócio à frente da Conselhos e Ideias. Só que ela esconde uma “surpresinha” em sua formação. É graduada em Artes. E que diferença isso faz? A forma como ela lida com conceitos. Com as artes ela aprendeu a explorar inúmeras possibilidades dentro de um mesmo contexto. Não estamos dizendo que vamos aprender a vender desenhando ou pintando. Mas que ela nos faz conduzir a arte da venda de uma forma muito mais sensível, conectada e, portanto, eficaz.  

O que vai rolar:

1- Introdução e apresentações

2- Vamos conhecer o "Golden Circle", sistema que muda as “ordens” das coisas e leva propósito e inovação às empresas

3- O que é o processo de vendas

4 - Qual você escolhe: vendedor chato x vendedor legal  

5. Como ser um vendedor “inesquecível”

6 - Finalização  


Inscrição aqui

Empoderamento feminino no consumo – sim, você tem tudo a ver com isso

Pensar na responsabilidade que uma marca tem com o público não é exclusividade de grandes empresas. Pequenos empreendedoras também devem refletir sobre os valores que querem transmitir com sua marca, como podem comunicar estes conceitos e de que forma conseguirão causar empatia no público.

Por isso falar sobre empoderamento feminino no consumo em um grupo com muitas mães empreendedoras faz todo o sentido.

Na última quinta-feira, dia 19 de novembro, recebemos Rebeca de Moraes, pesquisadora de tendências do Trendwatching, empresa com sede em Londres, para um bate papo sobre o papel das empresas e marcas na criação de discursos sobre as mulheres.

E esse assunto vai muito além do comercial de cerveja. Rebeca falou sobre inovação e nos apresentou uma pesquisa com cases positivos e negativos e dados sobre o mercado e sua mensagem para as consumidoras.

Você sabia, por exemplo, que no Brasil mulheres representam 80% das decisões de compras e que 65% delas não se identificam com a forma como são retratadas pela publicidade? Concluímos que o mercado precisa ressaltar outras características das mulheres e não só a beleza.

O caminho é mostrar a diversidade de papéis que as mulheres desempenham. E nós, como marca ou consumidoras, temos de exigir isso. E, citando uma frase do mexicano Abraham Spinosa, que conheci naquela manhã: “inteligência e força são o novo sexy.”

Se quiser conhecer melhor a pesquisa da Trendwatching: (F) Empowerment

Na mesma semana o 65/10, grupo de publicitárias que estudam a comunicação para as mulheres, lançaram um report com o tema a Revolução Delas. O objetivo também é apresentar essa “nova mulher” e o quanto ela está distante da forma que é representada nos comerciais.

Vale a pena dar uma olhada no estudo: 65/10 – A revolução delas

E fica aqui a questão que Rebeca deixou no final de sua apresentação: Como sua marca pode ajudar as mulheres a conquistarem seus objetivos?