Pai protagonista

Jorge Freire é nerd. E um puta pai. Mas o que significa ser um puta pai? Significa que ele se envolve diariamente nos afazeres com o casal de filhos. Rotina, educação, banho, perrengues e alegrias. Publicitário, ele tornou-se uma voz atuante na formação dessa nova paternidade ao criar o blog Nerd Pai. Ali discute todos os temas com os quais se depara durante a criação de Padawan e Yougling, como carinhosamente apelidou os rebentos. E fala também de cultura pop, para não perder o jeito nerd de ser. Ouvir o que ele tem a dizer é um grande presente de Dia dos Pais. 

 

Co.madre: Você é uma voz atuante -- e um exemplo -- na defesa da participação maior dos pais na criação dos filhos. Você identifica algo em você, na sua personalidade ou na sua criação que o levou a esse caminho? Ou seja, o que te fez ser um pai atuante e porque isso não é um caminho natural para todos os homens?

Jorge Freire: Olha, o meu pai sempre foi muito ativo. Era ele que nos levava aos passeios (tenho 3 irmãos), preparava o café da manhã, ajudava na escola. Não media esforços para estar juntos dos filhos. Esse exemplo eu sigo com meus filhos. Quero estar presente em tudo e participar ativamente da vida deles.

Co.madre: É curioso que a gente tenha encontrado um termo para diferenciar pais que são atuantes dos pais que não são. Um dia vamos deixar de falar paternidade ativa como denominação de pais atuantes? Em alguns textos você demonstra pouca esperança que isso ira mudar tão cedo. É isso mesmo?

Jorge Freire: Isso mesmo. A paternidade está em evolução, pois o sistema familiar está mudando. As mulheres estão cada vez mais conquistando o seu espaço e os pais precisam participar dessa equação. O termo paternidade ativa é natural, pois antes os pais eram coadjuvantes e a cada dia se tornam mais ativos. Olha, não sei quais textos você leu, mas eu sempre friso que SIM, estamos em processo de mudança. Lento, mas estamos. 

Co.madre: Como é dividida a tarefa na sua casa em relação aos filhos?

Jorge Freire: A divisão de tarefas aqui em casa apareceu naturalmente. Eu levo meu filho mais velho para a escola - o acordo, o troco e faço seu lanche - e minha esposa leva o nossa filha mais nova. Como eu trabalho em casa e amo cozinhar, essa tarefa também é minha. As outras vamos no improviso.

Co.madre: Para você, qual a importância da presença efetiva do pai na criação dos filhos?

Jorge Freire: Uma família mais equilibrada, pois o pai e mãe em harmonia trazem tranquilidade no crescimento psicológico da criança.

Co.madre: Dizem as “más línguas” que pais são mais caóticos que as mães. Bagunça pode fazer bem?

Jorge Freire: Sabe por que um bebê se diverte muito mais com o papel do presente/caixa do que com o próprio presente? Pois eles ali são livres para brincarem, explorarem e fazer bagunças. A criatividade vem desses momentos e o pai é um contraponto na criação. Sim, homens são bagunceiros e com a bagunça as crianças aprendem que existe a organização e também a criatividade!

Co.madre: Qual maior ensinamento que seus filhos te deram?

Jorge Freire: Que não existe regra e estamos aprendendo algo novo todos os dias.