Empoderamento feminino no consumo – sim, você tem tudo a ver com isso

Pensar na responsabilidade que uma marca tem com o público não é exclusividade de grandes empresas. Pequenos empreendedoras também devem refletir sobre os valores que querem transmitir com sua marca, como podem comunicar estes conceitos e de que forma conseguirão causar empatia no público.

Por isso falar sobre empoderamento feminino no consumo em um grupo com muitas mães empreendedoras faz todo o sentido.

Na última quinta-feira, dia 19 de novembro, recebemos Rebeca de Moraes, pesquisadora de tendências do Trendwatching, empresa com sede em Londres, para um bate papo sobre o papel das empresas e marcas na criação de discursos sobre as mulheres.

E esse assunto vai muito além do comercial de cerveja. Rebeca falou sobre inovação e nos apresentou uma pesquisa com cases positivos e negativos e dados sobre o mercado e sua mensagem para as consumidoras.

Você sabia, por exemplo, que no Brasil mulheres representam 80% das decisões de compras e que 65% delas não se identificam com a forma como são retratadas pela publicidade? Concluímos que o mercado precisa ressaltar outras características das mulheres e não só a beleza.

O caminho é mostrar a diversidade de papéis que as mulheres desempenham. E nós, como marca ou consumidoras, temos de exigir isso. E, citando uma frase do mexicano Abraham Spinosa, que conheci naquela manhã: “inteligência e força são o novo sexy.”

Se quiser conhecer melhor a pesquisa da Trendwatching: (F) Empowerment

Na mesma semana o 65/10, grupo de publicitárias que estudam a comunicação para as mulheres, lançaram um report com o tema a Revolução Delas. O objetivo também é apresentar essa “nova mulher” e o quanto ela está distante da forma que é representada nos comerciais.

Vale a pena dar uma olhada no estudo: 65/10 – A revolução delas

E fica aqui a questão que Rebeca deixou no final de sua apresentação: Como sua marca pode ajudar as mulheres a conquistarem seus objetivos?